sexta-feira, 29 de junho de 2012

Antes de voltar à rotina no blog preciso fazer um relato...

... porque quero guardar todos os detalhes, que eventualmente o tempo poderá tentar apagar.


EM RESUMO: família geralmente a gente não escolhe, nascemos dentro dela, mas no meu caso paterno minha família me escolheu a partir do segundo momento em que me encontrei com meu querido PAIdrasto JOSÉ AUGUSTO, quando ele ternamente passou a mão em meus cabelos e me pediu para pegar algo a ele e me chamou de FILHA (Filha, pega tal coisa pra mim), já no segundo dia de contato comigo, como namorado da minha mãe, gente, era um homem se tornando pai naquele instante e eu me tornando filha de um homem e não apenas da minha mãe, que embora tenha cumprido de forma exemplar seu papel até ali como “pãe”, foi bom ter mãe e pai a partir dali.

EU ANSIAVA PELA FIGURA PATERNA em minha vida e DEUS me brindou com o melhor, não poderia ter sido outro, a generosidade e entrega dele comigo e meu irmão foram de um lorde! E não foi diferente com os demais entes daquela família, perfeita no sentido da PERFEIÇÃO NO AMOR, corações abertos e mais que receptivos e há mais de 25 anos sou filha, sobrinha, prima e neta da família “ROCHA” em Assis.

DOR: por isso minha dor, minha retirada nos últimos dias na vida real e virtual, deglutir o óbito do meu querido pai (QUE ESCOLHEU SER MEU PAI, NÃO FOI POR NASCIMENTO, FOI POR ESCOLHA) há 11 anos já é difícil para mim (MUITO), até hoje não superei sua ausência e perder a mãe dele agora, minha “vó Ana” que era um pedaço físico dele ainda aqui na terra foi doloroso demais, sentimentos afloraram sobremaneira. Ela era uma das poucas pessoas puras que conheci na vida, no sentido mais exato do termo, acho que como ela sobrou apenas o meu avô materno que está com câncer e que eu achava que morreria antes dela, pessoas que não foram afetados pela vida em sociedade, pelas mazelas da vida em sociedade, sem ganância, consumismo, chego a afirmar que nesta fase da vida em que se encontram difícil seria encontrar algum traço de qualquer um dos pecados capitais, nem mesmo a gula!

CONFUSÃO DE SENTIMENTOS NO ENTERRO: quando abriram o túmulo para o sepultamento da minha querida avó na terça-feira passada, os ossos do meu querido pai foram retirados em um saco, por minutos apenas, visando dar espaço para a entrada do caixão, eu estava ao lado do “saco” enquanto minha avó era colocada lá, não me contive, toquei nos ossos dele por duas vezes, quase explodi de emoção, meu corpo tremia demais, descarga imensa de adrenalina, sei que meu querido PAI “GUSTO” está dentro do meu coração e ao lado de DEUS, eu acredito nisso, mas queria sentir sua presença física mais uma vez, talvez a última, nunca imaginei que isso pudesse acontecer um dia: um último momento, um último toque, houve dentro de mim realmente uma confusão de sentimentos, inclusive serenidade. Em poucas palavras, acho que eu quis estar mais um instante só com ele nestes dias, com a “presença”, tudo ficou tão pequeno que eu não queria mais nada, nem internet, nem encontrar pessoas, nem falar, apenas lembrar.

OBRIGADA mais uma vez a cada manifestação amiga por qualquer meio (internet, telefone, abraço...), fiquei muito sensibilizada com todos os gestos de carinho que recebi, que DEUS possa realizar todos os sonhos e anseios de cada um de vocês. Este blog e o outro voltam a ser atualizados com a rotina de sempre a partir de segunda-feira. Obrigada. Beijinhos mil. Excelente final de semana a todos. Fiquem e estejam sempre com DEUS. leila diniz.


JÁ FALEI SOBRE meu pai querido em outra postagem, se interessar a leitura clique aqui.

12 comentários:

  1. Querida, você me emociona. Aproveite esse momento e viva os seus sentimentos com toda a profundidade que puder. Volte quando sentir que está fortalecida. Estaremos aqui e aí com vc. bj

    ResponderExcluir
  2. Olá

    Me emociono sempre com sua história pois como já disse, a historia do meu marido é bem parecida, mas graças a Deus temos ele aqui ainda.
    Espero que tenha um fim de semana de paz, e que volte com tudo na próxima semana.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Impossível ler os seus relatos sobre o teu pai e a avó e não se emocionar, pois consegue dar muita emoção às suas palavras. Procure se lembrar sempre do quanto você foi abençoada por Deus em poder contar com estas pessoas ao longo de uma parte da sua vida, e siga sua caminhada procurando deixar coisas boas por onde passar, para que no futuro outras pessoas possam dizer coisas tão belas sobre você, de o quanto você foi importante na vida de alguém. Assim, este ciclo de amor e bondade nunca se encerra, se multiplica e a existência neste mundinho passa a fazer muito mais sentido.
    Bom final de semana, fica com Deus e bola pra frente que, como já dizia Freddie Mercury, the show must go on!

    ResponderExcluir
  4. Nossa Leila cheguei a me arrepiar de emoção , como é o nosso destino jamais iamginamos passar por isso e quando passamos não sabemos como será nossa reação , hoje tbm postei em homenagem minha irmãzinha ,só semelhanças por aqui viu pura energia !!!
    beijinhos !!!
    vanessa

    ResponderExcluir
  5. Leila, nem li inteiro para não chorar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Leila é linda sua história e o reconhecimento que tens por aqueles que a ampararam na hora certa na sua vida. Deus sabe todas as coisas e nada acontece por acaso também. Desejo que Deus a conforte e a faça seguir os lindos exemplos de sua querida avózinha. Grande bjo!

    ResponderExcluir
  7. Oi Leila, é isso aí querida...Desabafar alivia um pouquinho a nossa dor. E nessa hora quando perdemos alguem as lembranças afloram é um turbilhao de sentimentos, muito forte que mexe com a gente. Mas por incrível que pareça até a morte traz algum sentido pra nossa vida, com diz na palavra de Deus, "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. No meu caso quando minha avó faleceu, eu fui no hospital e a vi já incosciente daí fiquei muito triste, pois ela era uma amiga pra mim, a gente se entendia muito, ela me ajudou demais na adolescencia... Daí com o falecimento dela, eu mudei...Passei a valorizar mais as pessoas e até a dor das pessoas. Sempre que tem alguem doente que eu conheço não falo esforços pra visitar ou ajudar. Pois é ... Nessa hora a gente fica meio perdido, nossa mente não aceita a morte, e quando acontece parece que a pessoa revive dentro de nós e o desespero que dá é de não poder ter mais essa pessoa com a gente. Só que passou sabe... E só Deus e o tempo é quem Cura essa ferida.

    ResponderExcluir
  8. Amiga...
    Nesses momentos vivemos uma catarse de sentimentos, emoções e amor.
    Que vc esteja conseguindo colocar em ordem seu interior que foi chacoalhado pela intensidade do momento.
    Bom que escreveu, que colocou em palavras que já expressa tudo o que sentiu mas o melhor de tudo é que ao lermos podemos definir em uma única palavra tudo o que vc relata.
    AMOR. O amor move, une, desenvolve, doa, recebe e quando os olhos deixam de contemplar virá lembrança, saudade mas nunca deixa de ser amor.
    Vc é muito especial para mim e gostaria muito de poder abraçá-la cada vez que leio suas palavras.
    Bj enorme com carinho.
    Dryc@

    ResponderExcluir
  9. Amada...
    A emoção me toma a cada palavra que sai de seu coração,como sabe a exatamente um mês perdi minha amada vozinha que amei como Mãe e não só como avó, e meus sentimentos ainda estão confusos, sua imagem ainda ronda meus sonhos e mesmo acordada. Passei as ultimas horas ao seu lado e a impressão que me deu foi de que só com amor que eu sinto por ela é que me movia para aguentar tanto sofrimento, senti uma incapacidade enorme de vela ali com a respiração fraca, vendo o brilho de seus olhos azuis ( com eu amava aquele olhar ) se perdendo, ver seu corpo inerte,foi realmente o pior momento de minha vida. As horas foram se passando e eu apenas rezava e pedia a Deus que a levasse logo, que não a deixasse sofrer mais,mas ao mesmo tempo no meu intimo pedia que ficasse mais um pouco, hoje penso que até pequei por ser tão egoísta...mas sei que a vontade de Deus é que prevaleceu naquele momento...carrego no peito um amor enorme por essa pessoa tão maravilhosa e tento levar a vida com sua ausência...lembro-me de todos os momentos felizes que pude desfrutar junto a ela , e a certeza de um dia poder encontra-la em um outro plano...A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar...sinta toda dor que tiver que sentir, deixe cair toda lagrima que precisar, viva intensamente cada momento como se fosse o ultimo...a dor não vai passar assim de uma hora pra outra, mas dê tempo ao tempo que um dia ela ameniza...continue sendo essa pessoa encantadora, com esse coração lindo que transborda amor e carinho por onde você passa,com certeza Ela e seu Paidrasto estarão velando pela sua felicidade, e orgulhosos de terem recebido você como filha e neta.

    Fique o tempo que precisar para se restabelecer e criar forças para continuar sua caminhada, estaremos aqui sempre que você precisar.
    Fique em Paz , e tenha um final de semana abençoado e iluminado!

    *.*
    Paty

    ResponderExcluir
  10. uM BJ EM TEU CORAÇÃO

    *ainda sem palavras pra tentar te consolar,pois ainda estou sem consolo...
    hj,sabado 30/06 9 dias sem minha vó

    saúde e paz

    Ro

    ResponderExcluir
  11. Não há o que dizer… Só sentir. O tempo é um remédio grandioso, confie nisso. E saiba que do lado de cá tem carinho e amor torcendo pra sua dor passar logo. Com muitos abraços, Cris.

    ResponderExcluir
  12. Leila, realmente é uma dor né! Que Deus alivie seu coração.


    bjsss

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: